Imagem Peregrina da Senhora de Fátima recebe louvor de Agradecimento pelo Município de Campo Maior

A imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima, visita Campo Maior, neste mês de maio, a fim de celebrar o primeiro aniversário de canonização dos Santos Pastorinhos Francisco e Jacinta Marto. O vasto programa contém visitas às várias Instituições da Vila Alentejana.

Na manhã de 17 de Maio, a Imagem foi recebida no Paços do Concelho, pelo Presidente do Município Ricardo Pinheiro e por um grande número de funcionários para um momento  de oração e consagração a Nossa Senhora.

No final o senhor presidente entregou ao Pe. João Luís Silva, pároco de Campo Maior, um Louvor de agradecimento: “ É sempre um momento de grande exaltação e de júbilo para a comunidade católica campomaiorense, acolher a Santa Mãe (…) Agradecer ainda a visita da Imagem Peregrina ao Salão Nobre dos Paços do Concelho no dia 17, visita que muito nos honrou.”

 

Pe. João Luís Silva

31 de Maio: Évora celebra Festa do Corpo de Deus

Ocorre no próximo dia 31 de Maio, a Festa do Corpo de Deus, celebrada com grande solenidade em todo o mundo católico e que tem como centro o grande sacramento da Eucaristia.
Na cidade de Évora, o ponto alto da celebração é na Catedral, em que estará presente o senhor Arcebispo e conta do seguinte programa:
15.00h. – Exposição do Santíssimo Sacramento para adoração dos fiéis;
16.30h. – Eucaristia concelebrada presidida pelo Senhor Arcebispo;
17.30h. – Saída da solene procissão, com a integração à cabeça dos cavalos da GNR, e a encerrar a procissão a banda de Música, com o itinerário tradicional, que inclui a passagem pelo Templo Diana, Rua do Menino Jesus, Rua João de Deus, Praça do Giraldo, Rua 5 de Outubro e Largo da Sé.

2 de Junho: Encontro da LASE – Zona Norte em Barcelos

Aproxima-se o 2 de Junho de 2018, dia de mais um encontro dos Lasistas, e seus familiares, desta vez em Barcelos. Será uma maneira se convivermos, e aqueles que não conhecem a bela e aprazível cidade de Barcelos, e o encanto do Minho verdejante, poderem aproveitar e dar uma escapadinha.
O programa será o seguinte: 9, 30 horas Encontro junto ao Hotel Bagoeira dar as boas vindas; 10h, Reunião no Hotel da Bagoeira; 11h, Missa no Senhor da Cruz, 12,15h, Almoço no Hotel Bagoeira; 15h, Visita guiada à cidade de Barcelos. Almoço – 25 euros por pessoa. Entradas variadas, vitela ou Files de pescada.
Por questões de logística espero a vossa confirmação o quanto antes.
Para confirmar:
– Domingos Lopes – organizador – 917818194 e eldofaril@sapo.pt.
– Albino Pereira – Delegado da Lase norte – 917549273.

Paróquias do Concelho de Mora acolhem com entusiasmo a Visita Pascal

Na memória de alguns paroquianos de Mora e de Pavia há ainda vagas recordações de se ter realizado a visita pascal nestas paróquias. Segundo muitos testemunharam, o P. Arménio e o P. Alberto Reia terão, em anos já muito andados, tomado esta iniciativa em Mora e em Pavia. Há quem ainda se lembre dos arranjos florais nas umbreiras das portas e os tapetes de flores a indicar as casas a visitar.
Este ano, os párocos desta zona pastoral decidiram abraçar este desafio. Oportunamente, foi anunciado nas paróquias que este ano iríamos fazer a visita pascal em todas as paróquias: Mora, Cabeção, Pavia, Brotas e Malarranha. As famílias interessadas deveriam inscrever os seus nomes numa lista à disposição na sacristia. Feitos os esclarecimentos, mais de 200 famílias se inscreveram para acolher a comitiva pascal que, partindo das igrejas paroquiais, ia de casa em casa a anunciar a ressurreição de Jesus.
A iniciativa causou grande entusiasmo. Para alguns era completamente novo este gesto e estavam hesitantes sem saber muito bem como fazer. Outros já conheciam a experiência porque tinham familiares no Norte onde há esta tradição e mostravam-se muito agradecidos por agora acontecer também na sua terra. O ambiente da visita acabaria por contagiar a todos que não regatearam expressões de alegria e de gratidão exortando a que se repita no próximo ano.
A visita pascal ou do Compasso, como é conhecido nas paróquias do Norte, reveste-se de grande significado cristão e de grande simbolismo. A alegria da Páscoa traz inerente o anúncio público e o testemunho dos cristãos. Quem celebra Cristo ressuscitado deveria sentir o apelo a testemunhar com a vida a verdade essencial da sua fé: Cristo ressuscitou! Aleluia! As comunidades devem sentir esta missão como um compromisso que brota do mandato do Senhor: “- Ide por todo o mundo e anunciai…”
O Compasso é uma forma de encarnar este compromisso e este testemunho. Os frutos foram evidentes. Muitos, nas praças e nas ruas, mostravam a sua surpresa quando começavam a ouvir o som da campainha ainda ao longe. Ao verem a comitiva pascal que percorria as ruas e as praças mostravam-se acolhedores da iniciativa. Nem um só gesto houve em todas as paróquias que pudesse destoar do espírito pascal. Em todos notava-se o máximo respeito e expressões de aprovação.
Por questões de ordem práctica, optou-se por realizar a visita pascal nas tardes dos Domingos do tempo pascal, dado que de manhã se celebravam as Eucaristias dominicais. No dia 8 de Abril, o P. Nelson Fernandes em Brotas e o P. Mário de Oliveira em Pavia com os seus acompanhantes que eram compostos pelo ministro da Cruz, os acólitos com a caldeirinha da água benta e com a campainha, um irmão com um cesto que distribuía as pagelas alusivas ao dia e o que recolhia as ofertas, lá partiram de casa em casa. No dia 15 foi a vez de Mora com os dois párocos a percorrer zonas diferentes da Vila visitando um grande número de famílias. No dia 22, chegaria a vez de Cabeção também com os dois grupos a espalhar a alegria pascal, pois o número de casas a visitar assim o aconselhava. Para encerrar, no dia 29, chegou a vez de Malarranha que não quis ficar de fora e cerca de 15 casas receberiam a visita pascal.
Nota significativa e digna de registo foi a generosidade das famílias visitadas. Mesas postas a rivalizar com o que acontece no Norte e a insistência a que saboreássemos as iguarias próprias da época. Era também espontâneo o gesto de dar um contributo para as obras das paróquias tal como fora anunciado. O sentido de generosidade em todas as comunidades foi surpreendente e ultrapassou largamente as expectativas, pelo que estão de parabéns todas as comunidades.
Em jeito de balanço, pareceu-nos muito positiva esta iniciativa pastoral que encheu de colorido e sentido pascal estas comunidades que viveram agradecidas um dia diferente. Um rasto de alegria inundou muitos lares com as suas famílias. Muitos que vivem sós, agradeceram a visita porque nunca ninguém lá vai visitá-los. Para os párocos, foi também uma magnífica oportunidade de conhecer melhor a realidade dos seus paroquianos, escutar o relato de muitos dramas, o desabafo de muitas solidões bem como celebrar a alegria de muitas famílias reunidas para acolher o anúncio da alegria pascal.
Em todos, o desejo que a visita pascal se repita para o ano. Muitos, agora que já viram o que é, manifestaram já o desejo de abrir as suas portas no próximo ano para receber a Cruz florida da Páscoa e o sacerdote com os seus acompanhantes que em nome da comunidade anuncia Cristo ressuscitado.

Semana da Vida: “Ninguém é dono da vida”, diz o Arcebispo de Évora

A Igreja Católica em Portugal está a dedicar a Semana da Vida de 2018 ao tema da eutanásia, procurando promover um debate “sereno” sobre o tema, apresentando a sua posição à sociedade. A iniciativa decorre de 13 a 20 de Maio, lançando a questão ‘Eutanásia… O que está em jogo?’.

As propostas da Comissão Episcopal do Laicado e Família, através do seu Departamento Nacional da Pastoral Familiar (DNPF) partem de um alerta do Papa Francisco, sobre as “novas interrogações” relativas ao “sentido da vida humana”.
“Voltamos à problemática da Eutanásia, que envolve a ética, a medicina, o direito, a filosofia, a religião… e onde se ‘misturam’ experiências pessoais e familiares”, refere o guião da celebração, preparado pelo DNPF.
Os responsáveis pela iniciativa consideraram importante retomar o documento publicado pela Conferência Episcopal Portuguesa em 2016, ‘Eutanásia: o que está em jogo? Contributos para um diálogo sereno e humanizador’, a fim de “aprofundar o que está em causa, distinguir conceitos, conhecer mais claramente o que a Igreja defende e propõe”.
O guião, disponível no sítio online leigos.pt/, foi preparado para promover momentos pessoais e comuns de reflexão, interioridade e partilha com sugestões para a Eucaristia e a meditação dos Mistérios do Rosário.

Eutanásia: Arcebispo de Évora fala em falta de esclarecimento na sociedade portuguesa e pede aposta nos paliativos

Entretanto, na passada semana, no âmbito da celebração do Dia Mundial das Comunicações, o Arcebispo de Évora questionado pelos jornalistas sobre a sua posição perante a questão da Eutanásia, respondeu de forma clara: “Ninguém é dono da vida”.
Sobre a questão da Eutanásia, que a Assembleia da República vai debater no final de Maio, D. José Alves considerou que a sociedade portuguesa não está “suficientemente esclarecida sobre o que seja a eutanásia” e afirmou que essa a defesa da vida não é “uma questão religiosa”.
“Reduzir o sofrimento para as pessoas, estamos de acordo, mas a morte não é a única maneira de reduzir o sofrimento nem a mais digna. Há terapias que podem reduzir os sofrimentos”, disse D. José Alves.
O Arcebispo de Évora realçou também que os cuidados paliativos fizeram progressos que permitem que as pessoas, mesmo nas fases terminais, “possam suportar sem dores lancinantes”.
“Ninguém é dono da vida, essa é a grande questão. A vida não se compra, e não se pode vender, e também não pode por fim quem não a originou”, acrescentou, manifestando-se contra quem quer pôr nas mãos do Estado “a possibilidade de dar fim à vida das pessoas sem mais”.
D. José Alves alertou que quando as pessoas “deixam de ter valor no sentido económico, produtivo” para a sociedade, poderiam deixar de “ter direito de viver”.
“Hoje fala-se das pessoas que sofrem de doenças incuráveis: o que estão cá fazer, pessoas que atingiram uma certa idade e não produzem, o que estão cá a fazer, apenas são peso para a sociedade? Não posso concordar com isso. Este esclarecimento não está suficientemente feito na sociedade”, assinalou o Prelado.

Os deputados devem ser “os primeiros a cumprir  a Constituição”

O Arcebispo de Évora considerou que da Assembleia da República e dos deputados se “espera que sejam os primeiros a cumprir a Constituição”, admitindo que um referendo seria um mal “menor”, se levar a um “esclarecimento muito mais amplo, sereno, aprofundado”.
“As pessoas, todas, têm direito a viver e a sociedade deve fazer o que está ao seu alcance; a vida não é referendável mas entre decidir dentro das paredes da Assembleia e fazer o referendo, este permtiria que todas as pessoas pudessem discutir, ser esclarecidas”, desenvolveu.
Segundo D. José Alves, a “Igreja faz o que pode” mas destaca que a questão da eutanásia “não é da Igreja”, mas da sociedade.
“Entendo que a vida é um bem inaliável, de que ninguém pode dispor”, concluiu.

22 de Maio: Fundação AIS reabre delegação em Évora

O Convento de Santa Clara vai voltar a reabrir as suas portas como delegação da Fundação AIS para a cidade de Évora assim como para toda a região sul do país.

Após um breve período em que esteve fechada ao público, para reorganização da estrutura local e da equipa de voluntários, a delegação da Ajuda à Igreja que Sofre volta a desempenhar um papel central na divulgação das questões relacionadas com a liberdade religiosa e a perseguição aos cristãos no mundo.

D. José Alves, Arcebispo de Évora, explicou em Outubro de 2015, na primeira sessão oficial da delegação, a importância da presença da Fundação AIS em Évora para o esclarecimento das populações face ao aumento da violência e da perseguição aos cristãos no mundo.

Digamos que se trata de uma tragédia inumana com tendência a crescer ainda mais” referiu então o prelado. Nessa inauguração, que juntou dezenas de pessoas, D. José Alves afirmou ainda que “só uma intervenção musculada dos organismos internacionais poderá por fim a semelhante agressão injusta e injustificada”, que tem vindo a martirizar cristãos em tantos países.

A sessão de inauguração da delegação da AIS de Évora ficou ainda marcada pela presença e pelos testemunhos do Bispo de Zaria, na Nigéria, D. George Dodo, e da irmã Annie Demerjian, oriunda de Alepo, na Síria.

Desde essa data, a delegação da Fundação AIS tem vindo a acolher visitantes oriundos dos quatro cantos do mundo, oferecendo actividades de carácter cultural, nomeadamente conferências, exposições e concertos musicais.

A reabertura está agendada para terça-feira, dia 22 de Maio, com uma exposição sobre a situação dos Cristãos no mundo.

Delegação da Fundação AIS – Igreja de Santa Clara – Horário: terça a sábado das 10h às 13h e das 16h às 18h – Rua Serpa Pinto 7000-537 Évora

Coruche: Oração pela Paz adiada para Outubro

A Oração pela Paz, que o Movimento da Mensagem de Fátima (MMF) da Arquidiocese de Évora tinha convocado para 19 de Maio, em Coruche, foi adiada para o próximo mês de Outubro.

Recorde-se que a iniciativa surge no âmbito do 5º aniversário Coruche: Oração pela Paz adiada para Outubro do Pontificado do Papa Francisco e desafia todos os amigos de Nossa Senhora a escrever a maior palavra humana no mundo: PAZ, que será depois oferecida como presente ao Santo Padre. Para tal desafia 5000 pessoas a participar.

O balanço de uma década de Visitas Pastorais em destaque no Ser Igreja – Programa já disponível

Oiça aqui na íntegra o programa Ser Igreja da terceira semana de Maio de 2018

O balanço de uma década de Visitas Pastorais na Arquidiocese de Évora será o tema em destaque na emissão desta terceira semana de Maio. O Arcebispo de Évora faz o balanço de uma iniciativa pastoral marcada pela proximidade, no espaço informativo Espiga Doirada.

No programa desta semana pode também ouvir o Pórtico (a nota da semana), a rubrica mensal “Reflexo” da responsabilidade do cónego Manuel Maria, que este mês reflecte sobre as relações humanas, a nova rubrica semanal da responsabilidade da Fundação AIS – Ajuda à Igreja que Sofre, que semanalmente abordará a perseguição religiosa que existe no mundo, e ainda o espaço Palavra na Vida (Leitura e Comentário do Evangelho do próximo Domingo).

Não perca este interessante programa que será emitido nesta sexta-feira, a partir das 23h, nas seguintes rádios do Alentejo: Rádio Sim Alentejo em 97.5 FM; Rádio Despertar (Voz de Estremoz) em 94.5 FM; Rádio Campanário (Voz de Vila Viçosa) em 90.6 FM; e Rádio Telefonia do Alentejo (Évora) em 103.2 FM.

O programa será também emitido no próximo domingo, às 11h, nas seguintes emissoras: Rádio Elvas, Rádio Campo Maior e Rádio Nova Antena (Montemor-o-Novo).

Contudo, esta emissão pode ser ouvida on-line na página oficial da Arquidiocese de Évora em dioceseevora.pt ou na página de Facebook da Arquidiocese de Évora ou clique aqui.

11 de Maio: Peregrinação a Pé a Fátima está em destaque no Ser Igreja – Programa já disponível

Oiça aqui o programa Ser Igreja na íntegra da segunda semana de Maio de 2018

A Peregrinação a pé que decorre por estes dias até Fátima e que envolve cerca de 35 mil peregrinos, entre os quais várias centenas da Arquidiocese de Évora, será o tema em destaque na emissão desta segunda semana de Maio. Estaremos à conversa com o Pe. Mário Tavares de Oliveira que acompanha um grupo está a ligar o Santuário de Nossa Senhora da Conceição, em Vila Viçosa, ao Santuário da Cova da Iria.

No programa desta semana pode também ouvir o Pórtico (a nota da semana), o Espiga Doirada (espaço informativo) e ainda o espaço Palavra na Vida (Leitura e Comentário do Evangelho do próximo Domingo).

Esta emissão pode ser ouvida on-line na página oficial da Arquidiocese de Évora em dioceseevora.pt ou na página de Facebook da Arquidiocese de Évora.

Bênção do Gado este fim-de-semana em Santo Amaro

A aldeia de Santo Amaro recebe, nos dias 12 e 13 de maio, a maior das suas festividades anuais. A Bênção do Gado é uma tradição secular, bem representativa da cultura alentejana, que todos os anos reúne na aldeia centenas de pessoas. À parte religiosa junta-se a promoção das actividades económicas, dos produtos endógenos, do artesanato e do campo, sem esquecer o bolo branco, ícone da freguesia.

cartaz_bencao18