Arcebispo de Évora convida diocesanos a viverem o Tríduo Pascal

No dia 14 de Abril, a Arquidiocese de Évora celebrou o Domingo de Ramos. Na Catedral de Évora, o Arcebispo, D. Francisco José Senra Coelho, presidiu à Eucaristia. Esta celebração foi antecedida pela bênção dos ramos, na Igreja da Misericórdia, e pela procissão até à Catedral.

À reportagem de “a defesa”, no final da celebração, o Arcebispo de Évora explicou que “a celebração da Quaresma converge para o Tríduo Pascal e faz-nos entrar no mistério central da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo”.

“Gostaria de apelar a todos os cristãos católicos desta Igreja de Évora a que dispuséssemos as nossas agendas para sublinhar como prioridade a participação nas celebrações do Tríduo Pascal”, convidou o Prelado, reconhecendo que “sei que todas as Paróquias da Arquidiocese de Évora põem muito enlevo e seriedade na vivência do Tríduo Pascal. Sei também que, aqui em Évora, as Paróquias e a Santa Casa da Misericórdia valorizam e investem, mesmo a nível musical, na vivência da liturgia proposta para estes dias.”

“Convido, assim, a olharmos para nossa Igreja Mãe, a Catedral de Évora, onde o Bispo vai viver com os seus fiéis o Tríduo Pascal. O Cabido tem investido, com muito apreço pela liturgia, nas celebrações, a nível musical. Temos uma beleza que nos enche a alma, pois sabemos que os textos litúrgicos acompanhados pela beleza musical fazem-nos elevar até Deus a nossa vida quotidiana, tantas vezes mergulhada na rotina e no stress”, sublinhou D. Francisco José Senra Coelho.

“Que todos sintam este apelo, como um abraço que como Pastor dirijo a todos, desejando que não haja vazio interior, falta de luz, falta de sentido, e solidão. Mas, que encontremos no Senhor essa água viva que é Ele mesmo, esse vinho novo que faz em nós a festa”, referiu o Prelado.

“Para desejar a todos uma Santa Páscoa, devo desejar a todos também uma fecunda Semana Santa. Podemo-nos encontrar na Basílica Metropolitana, na nossa Catedral de Évora, onde, com toda a certeza, nos dessedentaremos junto à fonte da água viva que é o Senhor. A Sua Palavra, os Sinais Sacramentais, a Liturgia de Laudes, a vivência do silêncio de Sexta-feira Santa, a Paixão do Senhor, a alegria que nos traz a Ressurreição celebrada na Vigília Pascal, a renovação dos votos baptismais e o Aleluia Pascal serão para nós, certamente, um alento para o ano e serão a renovação da nossa Fé e do nosso encanto de seguir Jesus”, concluiu o Arcebispo de Évora.

Contactos