Évora: Arcebispo afirma que docentes de EMRC têm desafio de levar «felicidade e esperança» à escola

O arcebispo de Évora disse que levar o tema “da felicidade e da esperança para o interior de uma escola” é um desafio de um professor da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) na sociedade atual.

“Muitos jovens não têm vontade de investir em si, não acreditam que haja um projeto de felicidade”, afirmou D. Francisco Senra Coelho, à margem do encontro com professores de EMRC.

Em declarações enviadas à Agência ECCLESIA, o arcebispo disse que os docentes têm de ter uma atitude de “remar contracorrente desumanizante” e um desafio de proclamar “um sentido para a vida e um sentido de amor”.

D. Francisco Senra Coelho alertou que, às vezes, o tema da felicidade “parece que se esgotou” e há pessoas que “já não acreditam na felicidade, que vivem o momento presente”.

“Deitaram a toalha ao chão desta vontade de edificar em si uma personalidade que é ao mesmo tempo um templo que guarda a beleza”, acrescentou.

O arcebispo de Évora adiantou também que têm o “desafio concreto” que todas as escolas tenham um professore da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica e estão “conscientes da dificuldade e da proposta”.

“Há escolas, agrupamentos, que pelo reduzido número de aulas não consegue atrair e fixar professores. Vamos continuar a trabalhar para que existam professores com habilitação própria, para que possamos ter este desafio e direito dos jovens e das famílias respondido”, desenvolveu.

A Concordata assinada em 2004 entre Portugal e a Santa Sé consagra a existência da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica como uma componente do currículo nacional, de oferta obrigatória por parte dos estabelecimentos de ensino e de frequência facultativa, do primeiro ciclo ao 12.º ano, e que, atualmente, integra também as matrizes curriculares-base dos cursos artísticos especializados e dos cursos profissionais (Decreto-Lei 55/2018).

O encontro entre D. Francisco Senra Coelho e os professores da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica, este sábado, realizou-se no contexto da Semana Nacional da Educação Cristã 2018 que teve como tema ‘Ser Feliz é Ser Santo’, e para a qual a Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé escreveu uma nota pastoral.

O arcebispo de Évora realçou que a santidade “é uma vivência da plenitude humana, da felicidade” e exemplificou que os santos são bem-aventurados e “os bem-aventurados são felizes”.

CB/PR

Fonte: Agência Ecclesia

Contactos