Jornada Diocesana do Apostolado da Oração congregou mais de uma centena

No dia 3 de Março realizou-se a Jornada Diocesana do Apostolado da Oração orientada pelo Secretário Nacional P. António Valério sj, que decorreu no Seminário de Évora, com a participação de dezassete Centros Paroquiais vindos de toda a arquidiocese de Évora: Sé, S. Mamede, S. Brás, Nossa Senhora Auxiliadora e Nossa Senhora de Fátima (Évora), Alcáçovas, Pavia, Cabeção e Mora, Portel, Reguengos de Monsaraz, Mourão, Redondo, Vila Viçosa (S. Bartolomeu), Elvas, Campo Maior e Fronteira, num total de mais de cem pessoas. É pena que os outros Centros não tenham podido vir, alguns devido ao mau tempo, que se fez sentir ao longo do dia.
Por volta das 10 horas, com a “Sala dos Actos” do Seminário Maior repleta, o Director Diocesano, P. Fernando Marques, convidou todos os presentes a um momento de oração (oferecimento das obras do dia) e a um cântico. Em seguida agradeceu a presença de todos, salientando o numeroso grupo (51 pessoas) vindo das paróquias de Pavia, Cabeção e Mora, com o P. Nelson Fernandes.
O programa proposto pelo Secretário Nacional foi aliciante com os temas: “Os desafios para a Quaresma, a partir da carta do Papa Francisco”; “Oração e acção na proposta espiritual do Apostolado da Oração”; “Como dinamizar a vida de um Centro do Apostolado da Oração”.
O Padre A. Valério recordou, então, as palavras do Papa partindo da citação bíblica: “Porque se multiplicará a iniquidade, vai resfriar o amor de muitos” (Mt. 24,12), inserida no discurso escatológico de Jesus, pronunciado em Jerusalém, no Monte onde começaria a Paixão. A grande tribulação por que haveriam de passar os crentes: guerras, cataclismos, perseguições e que iriam perturbar e esfriar os seguidores de Cristo, tem-se repetido ao longo dos tempos, incluindo os actuais. O papa Francisco alerta para os falsos profetas: “encantadores de serpentes” e “charlatães” que se aproveitam das debilidades e emoções das pessoas para as enganar e escravizar, prometendo-lhes remédios e soluções para todos os males e aflições da vida, acabando na ganância do dinheiro “raiz de todos os males” (1 Tm 6,10), no egoísmo, auto-suficiência e infelicidade (resfriamento do amor), com reflexos na própria criação (mares poluídos pelos resíduos ali lançados por maldade e pelos despojos de tantos náufragos das migrações forçadas).
O orientador recorda as soluções para todos os males propostas pelo Santo Padre e já recomendadas por Jesus: a oração (ajuda-nos a descobrir as mentiras, com que nos enganamos), a esmola (liberta-nos da ganância e ajuda-nos a descobrir que o outro é nosso irmão) e o jejum (desperta-nos, torna-nos mais atentos a Deus, o único que sacia a nossa fome e ao próximo). Termina esta primeira reflexão da manhã recordando o episódio dos “Discípulos de Emaús, na manhã da ressurreição de Jesus” como exemplo de como Jesus vem ao nosso encontro, quando andamos perdidos ou desiludidos da vida e nos faz compreender as verdadeiras realidades.
O Apostolado da Oração propõe como modelo de oração, não só o oferecimento das obras do dia, logo de manhã, como também uma oração no meio do dia e à noite, sempre unidos às intenções do Papa. Mas a oração deve conduzir sempre à acção (prática de boas obras em benefício do próximo necessitado). Como modelo o P. Valério recordou Santa Teresinha do Menino Jesus e S. Francisco Xavier.
No fim da manhã, o arcebispo de Évora, D. José Alves, fazendo uma pausa na Visita Pastoral à Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, dirigiu palavras de estímulo e de louvor aos membros do Apostolado da Oração presentes na Jornada, recordando-lhes que a oração deve ser a rectaguarda da acção e que tanto Jesus como o Papa Francisco, na sua simplicidade e proximidade, recomendam uma oração contínua.
O terceiro tema “Orientações práticas” ocupou o princípio da tarde. A Jornada Diocesana terminou na vizinha igreja de S. Mamede com “momentos de adoração ao SS. Sacramento” e com a solene eucaristia.

P. Fernando Marques, Director Diocesano

Contactos