Saudação de D. Francisco José Senra Coelho, Arcebispo Eleito de Évora

“Que Ele Cresça e eu diminua” (Jo 3, 30)

Desejo, em primeiro lugar, saudar o Santo Padre, o Papa Francisco, agradecer-lhe a confiança manifestada ao chamar-me para o exercício do Ministério Apostólico na Igreja de Cristo presente em Évora. Manifesto-lhe a minha comunhão e vontade de com ele cooperar no esforço de a todos testemunhar a Alegria do Evangelho; que pela humanização da sociedade, se leia o Evangelho de Cristo na vida de cada cristão.

Saúdo a Igreja em Évora, como quem se sente chamado a servir e a compartilhar a vida com todos: as alegrias e esperanças, e também as tristezas e apreensões, as horas de sol e de sal. À querida Arquidiocese de Évora o meu fraterno abraço. Mais do que nunca, a minha vida é vossa e para vós, pois sois Corpo de Cristo que me abraça. Em vós e convosco, dou o meu sim à Igreja e à humanidade.

Saúdo o Ex.mo Rev.mo Senhor Arcebispo de Évora, Dom José Francisco Sanches Alves, que com tanta lucidez e dedicação tem sabido ser pastor das comunidades Alentejanas e Ribatejanas; o Ex.mo e Rev.mo Senhor Arcebispo Emérito, D. Maurílio Jorge Quintal Gouveia e o Ex.mo Rev.mo Senhor Bispo Emérito do Algarve, D. Manuel Madureira Dias.

Saúdo o Senhor Vigário Geral, os membros da Cúria Arquidiocesana, os diversos departamentos e serviços pastorais, os senhores Cónegos que são também o colégio de Consultores, os senhores Vigários e cada um dos Padres Diocesanos, os Diáconos Permanentes e suas famílias. Saúdo todos os membros dos Institutos de Vida Consagrada, masculinos e femininos, religiosos e religiosas, missionários e missionárias, de vida contemplativa e activa; Sociedades de vida Apostólica, membros dos Institutos Seculares e outras formas de Consagração ou compromisso, a quem presto a minha sentida homenagem pelo seu dedicado serviço, na dádiva das suas vidas.

Saúdo as instituições da Arquidiocese, os dois Seminários Maiores de Évora e o de S. José, em Vila Viçosa, com os seus formadores, seminaristas e pré-seminaristas; saúdo aqueles e aquelas que estão em discernimento Vocacional ou formação para a vida consagrada.

Saúdo as escolas Católicas e outras instituições de Acolhimento de crianças e jovens, doentes, idosos, pessoas com deficiência e reclusos.

Saúdo as autoridades Civis, Académicas, militares e militarizadas, as diversas corporações de segurança e de voluntariado.

Saúdo cada família da Arquidiocese, cada jovem, cada criança, os idosos, os doentes, os sós, os frágeis ou carentes de humanização, e aqueles que experimentam as diversas formas de pobreza.

Saúdo todo o Povo de Deus: as Paróquias, Movimentos Eclesiais e todas as pessoas de Boa Vontade, que se irmanam na construção da justiça e da Solidariedade.

Saúdo todas as instituições de cariz social: a Caritas Arquidiocesana, as Misericórdias, as Instituições de Solidariedade Social e todos os cuidadores da saúde e da qualidade da vida humana, todos os voluntários, todos os jovens que presentem o chamamento à dádiva da vida e não pactuam com propostas banais e fúteis de vida e todos os que promovem a Doutrina Social da Igreja.

Saúdo todos os responsáveis pelas Escolas Públicas e Instituições do Ensino Superior e universitário com todos os que nelas estudam, ensinam e trabalham; saúdo ainda com especial enfâse todos os que aí testemunham os valores cristãos e propõem diversas propostas pastorais.

Saúdo a todos em geral, povo Alentejano e Ribatejano; todos os que adotaram esta terra como sua e todos os que nela são emigrantes.

Um agradecimento muito sincero e sentido à Arquidiocese de Braga, onde se situa a terra das minhas origens, pelo extraordinário acolhimento e inesquecível colaboração que me concederam nos quatro anos de missão, como Bispo Auxiliar. Ao Senhor Arcebispo Primaz, D. Jorge Ortiga, ao irmão no ministério, D. Nuno Almeida, aos caros Sacerdotes, aos religiosos e religiosas e a todos os cristãos, Obrigado. Agradeço a todas as paróquias que me receberam em visita pastoral e aos Movimentos Eclesiais, Obras e Associações de Fiéis com quem trabalhei.

Coloco-me na Oração de todos os crentes e a todos coloco no coração maternal de Nossa Senhora da Conceição, Venerada em Vila Viçosa e no Monte Sameiro como Mãe, Rainha de Portugal, e Padroeira desta terra e cultura que somos todos nós.

É meu vivo desejo abraçar-vos a todos no próximo dia 2 de Setembro, pelas 17h, na Igreja Mãe da Arquidiocese, a Sé de Évora.

Rezemos mutuamente, pois, só unidos na oração, permaneceremos  em Cristo, caminharemos juntos.

Um abraço deste que “Convosco é cristão e para vós é Bispo”.

 

Braga, 26 de Junho de 2018

+ Francisco José Vilas Boas Senra de Faria Coelho, Arcebispo Eleito de Évora

1 Comment
  • Ana Inês Pereira on Junho 26, 2018

    As minhas sinceras felicitações ao novo Arcebispo de Évora D. Francisco Senra Coelho.Que guiado pela mão do Senhor contribua para a evangelização desta região.
    Bem haja D. Francisco!

Deixar um Comentário

Contactos