1 e 7 de agosto: Mais de 18 mil escuteiros vão participar no 24º Acampamento Nacional do CNE

O Corpo Nacional de Escutas (CNE) vai reunir cerca de 18 mil escuteiros no 24º ACANAC, uma “oportunidade” para participar em diferentes propostas educativas e diversas atividades, entre os dias 1 e 7 de agosto, em Idanha-a-Nova.

“Oportunidade de crescimento, aprendizagem, de viver uma aventura única, durante sete dias, com outros irmãos escutas. Escuteiros não só do CNE mas de outros países, e também de outras associações”, explicou a coordenadora-executiva para a comunicação do ACANAC, em entrevista à Agência ECCLESIA.

Constança Nobre, escuteira desde 2003, salienta ainda que é uma oportunidade de “rever antigos amigos, mas conhecer muita gente nova”, que partilha os mesmos ideais e de perceber que o escutismo, apesar de terem as mesmas bases, “também difere de região para região, de grupo para grupo”.

“Partilhares essas experiências também é uma experiência de superação – ir às compras e gerir o orçamento, cozinhar, de aguentar o calor durante as atividades. Toda essa superação torna-se crescimento, e quem entra no dia 1 não é o mesmo escuteiro que sai no dia 7: Trazes uma panóplia de experiência, de amigos, e sentes que a tua vida mudou”, desenvolveu.

‘Construtores do amanhã’ é o tema do 24º ACANAC do Corpo Nacional de Escutas, que se realiza também no contexto dos 100 anos deste movimento, que se comemoram em 2023, tornando-se ainda uma “oportunidade de visitar as raízes”, a história da associação e de já estarem “com olhos postos no futuro, de nova experiências”.

Em números, o Campo Nacional de Atividades Escutistas (CNAE), em Idanha-a-Nova, tem 79 hectares, que vão receber 18500 participantes, durante sete dias – de 1 a 7 de agosto -, dois supermercados de mil metros quadrados e dois refeitórios para 60 mil refeições, seis bares, um campo náutico e um campo aventura, e uma arena para 22 mil pessoas.

Os escuteiros dividem-se em pequenos, grupos, por faixas etárias – Lobitos (6 aos 10 anos), Exploradores (10 aos 14 anos), Pioneiros (15 aos 18), e os jovens adultos são os Caminheiros (dos 18 aos 23 anos) – e no ACANAC vão viver com as suas equipas, dentro dessas seções, com atividades “organizadas e coordenadas de acordo com as suas faixas etárias e os temas que costumam trabalhar”, explica Constança Nobre.

A dirigente do CNE destaca que vão “promover o consumo de comidas mais saudáveis”, no ACANAC 2022, onde os escuteiros vão poder ganhar pontos “numa competição de acordo com as compras que fazem”.

No Programa ECCLESIA, a coordenadora-executiva para a comunicação do ACANAC informa que as atividades podem ser acompanhadas nas redes sociais do CNE – “escutismo” em qualquer plataforma – onde vão partilhar vídeos diários, este ano com a novidade de terem “uma espécie de telejornal, feito pelos voluntários, com notícias do campo”.

 

Contactos