18 outubro, às 18h, com entrada livre: Conferência sobre a Conservação e restauro da escultura de S. Bruno da Cartuxa

A igreja de São Francisco de Évora junta-se uma vez mais à comemoração do Dia Nacional dos Bens Culturais da Igreja, este ano com uma comunicação conjunta sobre a escultura seiscentista de São Bruno da Cartuxa, onde se irão abordar diversas questões relacionadas com a sua história, salvaguarda e intervenção de conservação e restauro.

Na sequência do encerramento do convento cartusiano de Santa Maria de Scala Coeli de Évora, em 2019, São Bruno voltou para a Igreja de São Francisco afim de ser integrado no seu retábulo original, localizado numa das capelas desta igreja e recentemente identificado.

Se à primeira vista poderá parecer surpreendente esta ligação entre cartuxos e franciscanos, a verdade é que ela se foi sucedendo em vários momentos, desde logo na génese da Ordem Cartuxa na cidade e, por fim, no ciclo que se encerrou com a partida dos quatro últimos cartuxos de Évora.

A restituição da imagem à devoção dos fiéis obrigou a que fosse intervencionada devido a apresentar alguns problemas relativos à sua conservação e integridade estética, contribuindo deste modo para a recuperação do património religioso e possibilitando simultaneamente a sua permanência para as gerações vindouras e a transmissão da mensagem evangelizadora intrínseca.

FÁTIMA TEIXEIRA
conservadora-restauradora
Mestre em Conservação e Restauro de Bens Culturais –especialização em pintura (2015), pela Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa, no Porto (EA/UCP). Licenciada em Artes –Conservação e Restauro, na mesma instituição (2009).
Entre outras, colaborou em diversas áreas de intervenção no Projeto “Recuperação/ Requalificação da Igreja e Convento de S. Francisco, em Évora” (2014-15).
Desde 2015 exerce função de coordenação do Departamento de Conservação e Restauro da Igreja de São Francisco.

SUSANA NOGUEIRA
técnica superior
Licenciada em História – ramo Património Cultural, e com o curso de pós-graduação em Museologia pela Universidade de Évora.
Desenvolveu a sua actividade profissional sobretudo no âmbito da Catalogação e Inventariação de obras de arte no Museu de Évora; na Região de Turismo, com vista à criação do Museu do Artesanato; e desde 2002 na equipa responsável pelo Inventário Artístico da Arquidiocese de Évora.
Concluído este projecto colaborou desde 2016 num outro que visou a investigação e produção de conteúdos históricos para a Igreja de São Francisco, onde continua a exercer a sua actividade enquanto Técnica Superior.

Contactos