24 de maio, em São Brás: Missa em sufrágio por D. Fernando Guimarães Kevanu, Bispo Emérito de Ondjiva

D. Francisco Senra Coelho, Arcebispo de Évora, presidiu nesta terça feira (24) pelas 18:00 na Igreja de São Brás (Évora) a Eucaristia por Alma de Dom Fernando Guimarães Kevanu (1936-2022), Bispo Emérito de Ondjiva (Angola) falecido no dia 18 do corrente mês.

A diocese de Ondjiva foi criada a 10 de agosto de 1974 e faz parte da província eclesiástica do Lubango.

Na arquidiocese de Évora temos como oriundos da Diocese de Ondjiva: P. Aureliano Abílio Siwanifeni (Monforte: Assumar e Vaiamonte); Abraão N. Mwaikafana (Viana do Alentejo); Idalino Sekunangela (São Brás, Évora); Elias Paulo Tulungameni (Alcácer do Sal) e os seminaristas Genitório e Tomé. Nós nos referimos, também, à presença dos Padres Aniceto Dâmaso (Boa Fé) e Daniel Jamba (Santana) – Arquidiocese do Lubango. Já não falando daqueles que brindaram com Dom Kevanu em muitas circunstâncias como P. José (Portel) e Mateus (Monte Trigo).

Não é fácil descrever ou falar sobre Dom Kevanu, aquele, filho de Jerónimo Handukeme e de Kausivike, que nasceu na aldeia de Odime, município do Kwanyama, província do Kunene em Angola, aos 14 de agosto de 1936.

Estudou na Missão Católica de Omupanda (Kunene); no Seminário Menor do Jaú (Huila) e Cristo Rei (Huambo) e teologia Pastoral em Espanha. Ele foi moldado na espiritualidade e práxis pastoral dos Espiritanos.

Ordenado Sacerdote aos 2 de julho de 1970, trabalhou incansavelmente nas Missões do Cuamato, Môngua, Omupanda, Mupa Kafima e Ondjiva (Kunene). Vice-reitor do Seminário Maior de Cristo Rei – Huambo (1977-1980); Vigário Geral da Diocese de Ondjiva (1980-1986).

Agraciado com o título de Monsenhor é nomeado Administrador Apostólico de Ondjiva a 12 de setembro de 1986.

Eleito Bispo de Ondjiva, em tempo de guerra, aos 14 de abril de 1988 foi ordenado aos 03 de julho de 1988; tomou posse numa diocese com menos de cinco sacerdotes aos 10 de julho de 1988.

Entendeu de primeira que a solução passaria pela formação dos agentes da pastoral. Assim fundou os seminários menor (Môngua) e médio/propedêutico (Omupanda) e enviou muitos jovens para formação diversificada em diversos cantos de Angola e do mundo, incluindo Portugal (Évora e Braga).

Renunciou ao governo pastoral da diocese aos 23-11-2011. Adormeceu santamente no Senhor, aos 18 de Maio de 2022 em Ondjiva e vai a enterrar no cemitério da missão Católica de Omupanda.

“Foi um Pastor intrépido, educador e condutor de homens, promotor de vocações à vida consagrada, sacerdotal” e   laicado.  D. Kevanu com o seu lema “Mater mea fidúcia mea”, viveu intensamente ligado a Nossa Senhora, de batina branca e terço nas mãos destruiu muitas barreias e a Mãe de Deus o livrou em diversos atentados. Contra tudo e todos não abandonou o seu povo e conhecia o seu rebanho como um bom pastor.     Os filhos, amigos, naturais e benfeitores de Angola, sobretudo, do Kunene fazem jorrar lágrimas de gratidão a Deus por ter escolhido a dedo na hora certa e para o local certo o seu servo: Dom Kevanu.

O Arcebispo de Évora, D. Francisco José Senra Coelho, em nome pessoal e em nome da Arquidiocese apresenta sentidas condolências à família e a esta Diocese irmã. 

No dia 24 de maio, D. Francisco Senra Coelho, Arcebispo de Évora, presidiu, pelas 18:00, na Igreja de São Brás (Évora), à Eucaristia por Alma de Dom Fernando Guimarães Kevanu (1936-2022), Bispo Emérito de Ondjiva (Angola) falecido no dia 18 do corrente mês, e cujas exéquias fúnebres se celebraram neste dia 24 de maio, em Angola. Na Eucaristia concelebraram os sacerdotes que trabalham na Arquidiocese de Évora, oriundos da Diocese de Ondjiva, assim como outros sacerdotes angolanos a trabalhar em Portugal.

Contactos