29 de maio: Arcebispo de Évora apresentou mensagem do Papa para o Dia das Comunicações Sociais

O Departamento de Comunicação Social da Arquidiocese de Évora promoveu, no dia 24 de maio, uma conferência de imprensa com D. Francisco Senra Coelho, na qual foi apresentada a Mensagem do Papa para o 56.º Dia Mundial das Comunicações Sociais, intitulada “Escutar com o ouvido do coração”, que se celebra no Domingo, dia 29 de maio, Solenidade da Ascensão do Senhor.

Com a presença de cerca de uma dezena de jornalistas e transmitida em direto nos canais digitais da Arquidiocese de Évora, a conferência de imprensa contou com uma reflexão do Prelado eborense sobre a Mensagem do Papa, começando por sublinhar que a atenção do Santo Padre fixa-se, este ano, na atenção ao verbo “escutar”, que é “decisivo na gramática da comunicação e condição para um autêntico diálogo”.

Na linha do Papa, o Arcebispo de Évora destacou a perda de capacidade de ouvir a pessoa que temos à nossa frente, citando a resposta de um médico ilustre quando lhe foi perguntada qual era a maior necessidade dos seres humanos: “o desejo ilimitado de ser ouvidos”.

Depois, D. Francisco Senra Coelho desenvolveu o ponto da Mensagem do Papa, com subtítulo “Escutar com o ouvido do coração”, no qual a partir das páginas bíblicas aprendemos que a escuta “está essencialmente ligada à relação dialogar entre Deus e a humanidade”. “A escuta corresponde ao estilo humilde de Deus”, sublinhou, citando o Santo Padre.

No segundo ponto da Mensagem do Papa, intitulado “A escuta como condição da boa comunicação”, o Arcebispo de Évora destacou, citando, “a escuta é o primeiro e indispensável ingrediente do diálogo e da boa comunicação. Não se comunica se primeiro não se escutou, nem se faz bom jornalismo sem a capacidade de escutar. Para fornecer uma informação sólida, equilibrada e completa, é necessário ter escutado prolongadamente. Para narrar um acontecimento ou descrever uma realidade numa reportagem, é essencial ter sabido escutar, prontos mesmo a mudar de ideia, a modificar as próprias hipóteses iniciais”.

“É importante escutar o outro”, disse D. Francisco José Senra Coelho, acrescentando que é necessário “fazer o exercício da paresia”. “Só na verdade e com a verdade se pode construir, na riqueza da diferença, algo de novo, criativa, algo que seja capaz de ir, de maneira verdadeira, ao encontro do mundo que espera verdade, transparência e acolhimento”, recordando as conclusões do Sínodo dedicado aos Jovens.

O Prelado eborense terminou a reflexão da Mensagem com a palavra final do Papa: “cientes de participar numa comunhão que nos precede e inclui, possamos descobrir uma Igreja sinfónica, na qual cada um é capaz de cantar com a própria voz, acolhendo como dom as dos outros, para manifestar a harmonia do conjunto que o Espírito Santo compõe.” “É muito bonita esta conclusão do Papa Francisco”, concluiu D. Francisco Senra Coelho.

No momento de perguntas e respostas com os jornalistas, o Arcebispo de Évora agradeceu à comunicação social o seu trabalho. “Temos que trabalhar para que a comunicação social tenha um nível de profissionalização, que tenham regras científicas e que se produza boa comunicação social, que irá resistir à erosão dos tempos, permanecendo com qualidade”, desafiou o Prelado eborense.

No final da conferência, D. Francisco José Senra Coelho desejou bom sucesso ao jornal diocesano “a defesa”, no seu 99.º aniversário, à Rádio Esperança, que iniciou as emissões a 5 de outubro, e “que a presença na internet da Arquidiocese de Évora e a presença da Canção Nova na Arquidiocese seja um trabalho em rede e se intensifique no próximo Ano Pastoral”, concluiu.

 


Reveja aqui a transmissão da Conferência de Imprensa:


Veja aqui a fotoreportagem da Conferência:

https://www.facebook.com/media/set/?vanity=arquidiocesedeevora&set=a.5058891347499364

 

Contactos