Assembleia Geral do Clero prepara Ano Pastoral 2021/2022

Durante todo o dia de segunda-feira, dia 13 de Setembro, no Seminário Maior de Évora, decorreu a Assembleia Geral do Clero da Arquidiocese, que congregou, pela manhã, o Clero da Zona Pastoral Centro/Sul e, pela tarde, o Clero das Zonas Pastorais Leste e Oeste, de forma a que fossem cumpridas as normas sanitárias em vigor.
As reuniões começaram com um momento de oração. Seguiu-se uma saudação do Arcebispo de Évora.
Depois, ocorreu a apresentação do tema “Viver a Esperança já é evangelizar”, por D. Armando Esteves Domingues, Bispo Auxiliar do Porto, no qual sublinhou que “a esperança de uma Igreja renovada passa pelas pessoas e comunidades”.
Na sua reflexão com o presbitério de Évora, o Bispo Auxiliar do Porto desafiou os presentes a viverem “guiados pela esperança que nos salva”, procurando ter “um olhar de esperança no meio das fragilidades”, sendo “capazes de relações que geram comunhão” e fazendo uma “opção pelos últimos”.
D. Armando Esteves Domingues sublinhou também a necessidade de “rebatizar a Paróquia segundo o modelo primitivo ‘eram assíduos'”, apostando no acolhimento e proximidade.
Por fim, o Prelado desenvolveu ainda o tópico de reflexão “por uma Igreja de estilo sinodal: Comunhão, Participação, Missão”.
Antes da oração conclusiva, o cónego Mário Tavares de Oliveira fez a apresentação do Plano Pastoral 2021-2022, que terá como tema “Cuidar e inserir os sedentos da Esperança”, inserido no quadriénio que a Arquidiocese vive de 2019 a 2023 dedicado ao lema “Discípulos Missionários da Esperança”.
“O tema do Plano Pastoral 2021/22 remete-nos para um conteúdo fundamental da experiência cristã. “Cuidar e Inserir” os sedentos da Esperança toca o coração da proposta do evangelho e evoca o que de melhor o caminho da Igreja tem realizado nos caminhos da história”, pode ler-se na introdução do documento de proposta de ideias fundamentais que estão na base do Plano Pastoral 2021/22.
“A missão é sempre a mesma, mas os contextos são sempre novos. Daqui decorre o imperativo de nos questionarmos de como poderemos, hoje, ser fiéis à missão de cuidar e inserir os irmãos mais debilitados e que clamam por um olhar e gritam por um abraço redentor”, refere o mesmo documento.
O documento de proposta de ideias fundamentais que estão na base do Plano Pastoral 2021/22 desenvolve nove pontos, nomeadamente: “O Testemunho da Tradição Bíblica”; “O Testemunho da Igreja como comunidade que acolhe e insere”; “O nosso contexto dos Centros Sociais Paroquiais”; “Os desafios da Pastoral da Saúde”; “A Espiritualidade da Acção Social”; “Partir da Evangelii Gaudium do Papa Francisco”; “Para uma Catequese da Infância e Adolescência comprometida”; “Rumo à Jornada Mundial da Juventude”; e “O Testemunho de São João de Deus”.
Até ao final do mês de Setembro, o Plano Pastoral será fechado, sendo que a sua apresentação oficial e o lançamento do Ano Pastoral 2021/2022 na Arquidiocese de Évora ocorrerá, como é habitual, no dia 5 de Outubro, com a celebração do Dia da Igreja Diocesana.

Contactos