Em tempos de pandemia, via telefone: Jovens de Mora acompanham cerca de uma centena de pessoas

É corrente a generalização de que os jovens do nosso tempo não estão disponíveis para abraçar os desafios da fé e que querem unicamente diversão. Há mesmo quem ache que “os jovens estão perdidos”, confirmando a ideia de “geração rasca” em que muitos teimam em caracterizar a juventude do nosso tempo. Porém, os jovens demonstram que querem ser construtores dum futuro onde os valores da fé não fiquem esquecidos.
O Grupo de Jovens da Paróquia de Nossa Senhora da Graça de Mora já conta com dois anos de existência. Nesse curto espaço de tempo, mas de profunda aprendizagem, integração, dinamismo e amadurecimento, tem-se desenvolvido e testemunhado o verdadeiro sentido de Comunidade. Desde o voluntariado, organização de espetáculos, à entrega e desempenho dos diferentes ministérios. Por outras palavras, meditam as Escrituras, aprendem a agir ao modo de Jesus e deixam-se inspirar pela força sempre nova do Espírito Santo.
No momento presente, perante a pandemia que a todos nos afeta e na certeza de que jamais caminhamos ou caminharemos sozinhos, este Grupo optou, entre outros meios, por contactar diariamente via telefónica com todos os que moram sós, estão doentes, ou vivem de alguma forma isolados. Importa ressaltar que esta iniciativa não se confina à Comunidade de Mora, mas também engloba pessoas das Comunidades de Pavia e Malarranha. O primeiro contacto é sempre feito pelo pároco, P. Nelson Fernandes, que incentivou os membros do Grupo e que, ele próprio, durante algumas horas de cada dia aquece as paredes da vida de muitos, que teimam em esfriar, e que como ele afirma: “descobri e reconheço um novo modo que me desperta para reconhecer ainda mais a presença deste Jesus que vem”.
Por conseguinte, cada membro do Grupo partilha com os outros membros a experiência de cada contacto, de cada telefonema, de cada abraço espiritual. Singulares e emocionantes têm sido esses encontros ainda que virtuais. Todos saem mais enriquecidos e afetivamente vinculados. Atualmente são cerca de 100 pessoas/famílias que são acompanhadas nesta iniciativa.
Em suma, é uma iniciativa que estes jovens recomendam a todos os outros. Porque ser jovem não é apenas o futuro da humanidade e da Igreja. São o presente da Igreja. O seu rosto Jovem. São tempos em que cada um é desafiado e tem novas oportunidades de exercer a missão a que a juventude é chamada: ser apóstolos de Cristo e, firmes na fé, fazer discípulos com toda a Igreja, sabendo que o Amor é tudo.

 

 

Contactos