Igreja de S. Francisco adere ao selo Clean&Safe

Desde o dia 1 de Agosto, a igreja de S. Francisco, em Évora, aderiu ao selo Clean&Safe, visível agora nas entradas, painéis informativos e comunicação com o exterior. “O selo Estabelecimento “Clean&Safe”, criado pelo Turismo de Portugal, visa reconhecer os estabelecimento e actividades que assumam o compromisso de cumprir as recomendações emitidas pela Autoridade Turística Nacional, em articulação com as orientações da Direção-Geral da Saúde, para reduzir riscos de contaminação dos seus espaços com a covid-19 ou outras infecções.”
No caso da igreja de S. Francisco, sendo também um equipamento cultural, o pedido do selo foi analisado, e posteriormente atribuído, pela Direcção Geral do Património Cultural, com a colaboração da Direcção Regional de Cultura do Alentejo. À data é o primeiro selo atribuído a um equipamento religioso e cultural, com gestão privada, a sul do Tejo.
Desde a reabertura dos espaços musealizados a 19 de Maio e da igreja a 31 de Maio, S. Francisco adoptou todos os procedimentos recomendados pela Direção-Geral de Saúde e pela Conferência Episcopal Portuguesa.
Foi elaborado um Plano de Contingência que serve de documento guia que, em resumo, considera: a restrição do número de visitantes em simultâneo na Capela dos Ossos, limitada a 10 pessoas; a redução do número de lugares utilizáveis nos bancos da igreja, de modo a permitir o distanciamento; as visitas de grupos superiores a 10 pessoas sujeitos a marcação prévia obrigatória; a colocação de painéis acrílicos de separação nos balcões de atendimento; a cessação de distribuição de material informativo impresso e do acesso a folhas de sala, ambos substituídos por códigos QR remetendo para páginas de internet com a informação correspondente; a colocação de dispensadores de gel desinfectante à entrada e saída das zonas visitáveis e de trabalho; painéis informando sobre a obrigatoriedade de uso de máscara, desinfecção das mãos à entrada e à saída e distanciamento de 2 metros; os sanitários são devidamente desinfectados em cada limpeza e a frequência das limpezas foi aumentado de 3 para 8 vezes por dia; os locais mais expostos de acesso ao público são desinfectados periodicamente, nomeadamente: a bilheteira, a loja e as vitrinas susceptíveis de estarem em contacto físico com o público; os corrimões e puxadores das portas são desinfectados diariamente, várias vezes por dia; os bancos do Museu e da Igreja são desinfectados diáriamente, várias vezes por dia.
“Com a aderência ao selo pretendemos informar todos os visitantes, de forma clara e comprometida, que estamos informados, actualizados e a cumprir as recomendações das autoridades de saúde para minimizar os riscos da pandemia COVID-19”, lê-se numa nota de imprensa da Igreja de São Francisco enviada às redacções.

Contactos