Igreja/Portugal: D. José Ornelas é o novo bispo de Leiria-Fátima

A Arquidiocese de Évora saúda o Senhor D. José Ornelas e a Diocese de Leiria-Fátima pela nomeação.

28 jan 2022 (Ecclesia) – O Papa Francisco nomeou hoje D. José Ornelas, presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), como bispo de Leiria-Fátima, sucedendo no cargo ao cardeal D. António Marto, que apresentou a sua renúncia.

O novo responsável, de 68 anos, estava à frente da Diocese de Setúbal desde 2015, ano em que foi ordenado bispo, depois de ter sido responsável mundial pela Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos).

A tomada de posse, na Catedral de Leiria, está marcada para 13 de março.

“Quero saudar D. António Marto, com quem fui aprendendo a fazer caminho de amizade e de serviço na Igreja, que muito estimo. Aprendemos a ser amigos, à sombra do Evangelho, e isso é sempre uma boa razão de viver na Igreja”, referiu D. José Ornelas, em declarações à Agência ECCLESIA.

“Tenho o gosto e o desafio de suceder-lhe nesta missão”, acrescentou.

O sexto bispo da Diocese de Leiria-Fátima desde a sua restauração, em 1918, deixou ainda uma palavra a D. Serafim Ferreira e Silva, bispo emérito, que liderou esta Igreja local entre 1993 e 2006.

“É esta tradição que eu quero aprender a conhecer melhor, com as gentes de Leiria, com o seu clero, com os religiosos e religiosas, os seminaristas, todos aqueles que fazem esta diocese”, indicou.

  1. José Ornelas assume como projeto o de uma “Igreja sinodal”, dentro do processo iniciado pelo Papa Francisco no último mês de outubro e que decorre até 2023.

“Uma Igreja que conta com todos, que precisa de todos”, precisou.

Quero convidar todos para esta Igreja sinodal que estamos a tentar construir, de que D. António foi um grande promotor. Espero que ele continue a inspirar-nos também e a ajudar-nos a viver esta Igreja em que todos participam ativamente e em que todos anunciam, como missionários, o Reino de Deus e um mundo melhor para todos, à luz do Céu que se revela em Maria, em Fátima, e que nos convida a aderir a Cristo e ao seu Evangelho”.

O bispo nomeado de Leiria-Fátima destaca o Santuário da Cova da Iria, “local muito especial, uma referência da presença de Deus na história e uma história complicada”, há mais de 100 anos, também numa “situação dramática de pandemia”.

“É nesse contexto que Maria aparece como a luz, a Senhora mais luminosa do que o sol, e aparece a três crianças, os mais pequenos, pobres, uma imagem do país dramático que era, particularmente para a infância, nesse tempo”, indica.

D. José Ornelas convida todos a construir um “mundo melhor”.

“Maria, mãe carinhosa da Igreja, mãe carinhosa dos mais pequenos, é a imagem da Igreja que nos queremos ser, como anunciadores neste mundo”, acrescenta.

O bispo dirigiu uma mensagem escrita à diocese, manifestando “emoção, alegria e esperança” perante a nova missão.

A Conferência Episcopal Portuguesa congratulou-se com esta nomeação, desejando a D. José Ornelas “um fecundo governo pastoral junto do Povo de Deus que lhe é confiado na Diocese de Leiria-Fátima e, de modo mais alargado, junto de todos aqueles que demandam ao Santuário de Fátima como peregrinos”.“Por intercessão de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, pedimos ao Senhor que derrame as suas bênçãos sobre D. José, para que continue a servir com disponibilidade, sabedoria e entusiasmo a Igreja em Portugal, como presidente da Conferência Episcopal Portuguesa e, agora como, bispo de Leiria-Fátima”, refere uma nota da CEP, enviada à Agência ECCLESIA.

D. José Ornelas Carvalho nasceu a 5 de janeiro de 1954, no Porto da Cruz (Madeira), tendo feito a sua formação religiosa na Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos); foi ordenado padre na sua terra natal, a 9 de agosto de 1981.

Especialista em Ciências Bíblicas, com o grau de doutor em Teologia Bíblica pela Universidade Católica Portuguesa, foi docente desta instituição académica entre 1983-1992 e 1997-2003.

Foi superior da Província Portuguesa dos Sacerdotes do Coração de Jesus, cargo que assumiu a 1 de julho de 2000; seria eleito superior geral dos Dehonianos a 27 de maio de 2003, cargo que ocupou até 6 de junho de 2015.

Após estes mandatos, D. José Ornelas Carvalho tinha sido indigitado, a seu pedido, para uma missão em África; o Papa Francisco nomeou-o bispo de Setúbal, a 24 de agosto de 2015 e a sua ordenação episcopal teve lugar a 25 de outubro do mesmo ano, na Catedral da diocese sadina, onde tomou posse.

Em junho de 2020 foi eleito presidente da CEP.

OC

A Diocese de Leiria, que tem por padroeiros Nossa Senhora de Fátima e Santo Agostinho, foi criada, a pedido do rei D. João III, pelo Papa Paulo III na bula ‘Pro excellenti’, a 22 de maio de 1545.Extinta por motivos políticos em 4 de setembro de 1882, foi restaurada por Bento XV com a bula ‘Quo vehementius’, de 17 de janeiro de 1918; por decreto da Congregação dos Bispos (Santa Sé), de 13 de maio de 1984, confirmado pela bula ‘Qua pietate’, de João Paulo II, com a mesma data, foi dado à diocese o atual título de Leiria-Fátima.

Desde a sua restauração, em 1918, teve como bispos D. José Alves Correia da Silva, D. João Pereira Venâncio, D. Alberto Cosme do Amaral, D. Serafim de Sousa Ferreira e Silva e, desde junho de 2006, D. António Augusto dos Santos Marto, a quem sucede D. José Ornelas.

Com mais de 250 mil habitantes, a diocese tem 1700 quilómetros quadrados, incluindo territórios pertencentes aos concelhos de Leiria, Marinha Grande, Batalha, Porto de Mós, Ourém e parte dos concelhos de Pombal, Alcanena e Alcobaça.