Lavre: Inauguração do busto em memória do P. José Flausino

No dia 3 de setembro, no 37º aniversário da sua morte, em Lavre, na Arquidiocese de Évora, decorreu a inauguração do busto em memória do P. José Flausino.

Pelas 17h00, houve romagem ao cemitério. Às 18h, foi celebrada Eucaristia, presidida pelo Arcebispo de Évora, D. Francisco José Senra Coelho, concelebrada pelo Pároco, P. António Antão e muito participada. E, às 19h, decorreu a inauguração do busto.

Na inauguração tomaram lugar muitos paroquianos e amigos do P. Flausino, nomeadamente de Lavre, Foros de Vale de Figueira, Cortiçadas de Lavre e Santana do Mato, onde foi Pároco, assim como o Presidente da União de Freguesias de Cortiçadas de Lavre e Lavre e o Presidente da Junta de Freguesia de Foros de Vale de Figueira.

O saudoso P. José Flausino nasceu a 14 de Novembro de 1913, no Couço, concelho de Coruche, sendo filho do sr. Francisco Flausino e da sra. D. Maria Isidora.

Frequentou o Seminário de Évora, tendo sido ordenado presbítero a 10 de Agosto de 1937, pelo Servo de Deus, D. Manuel Mendes da Conceição Santo, em Borba.

Celebrou Missa Nova a 15 de Agosto de 1937, em Coruche, tendo ficado ao serviço da Arquidiocese de Évora.

A 17 de Outubro de 1937, foi nomeado ecónomo e prefeito do Seminário de Vila Viçosa, e encarregado da paroquialidade da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição.

A 4 de Outubro de 1942, foi nomeado ecónomo do Seminário de Évora.

Um ano depois, a 27 de Setembro de 1943, assumiu as Paróquias de São Cristóvão e S. Romão, no concelho de Montemor-o-Novo, e de Santa Suzana, no vizinho concelho de Alcácer do Sal.

A 21 de Outubro de 1944, torna-se Pároco da Granja, no concelho de Mourão.
Dois anos depois, a 23 de Março de 1946, é Pároco interino de Monforte.

No ano seguinte, em 1947, assume as Paróquias de Torrão, S. Romão do Sado, no concelho de Alcácer do Sal.

Seis anos mais tarde, a 12 de Agosto de 1953, foi nomeado Director Assistente da Casa do Gaiato em Alcácer do Sal, e depois da Casa do Gaiato de Setúbal, a quando da sua abertura.

A 9 de Outubro de 1956, torna-se Capelão do Albergue Distrital de Évora.

Precisamente 3 anos depois, a 9 de Outubro de 1959, torna-se Pároco de Lavre, no concelho de Montemor-o-Novo e de Santana do Mato, no vizinho concelho de Coruche.

A 31 de Dezembro de 1966, além da Paróquia de Lavre, é encarregado da paroquialidade das novas Paróquias de Vale de Figueira e Cortiçadas, criadas por Decreto de 8 de Dezembro de 1966.

A 1 de Janeiro de 1984, é Pároco de Lavre, de Vale de Figueira, Cortiçadas e Santana do Mato.

Faleceu a 3 de Setembro de 1985, no Hospital de São João de Deus, em Montemor-o-Novo, tendo sido sepultado no cemitério de Lavre.

Contactos