Liga dos Antigos Alunos do Seminário de Évora: MENSAGEM LASISTA

Como não foi possível enviar esta “mensagem” durante a “Quadra Natalícia” (enviei-a para o site da Lase), quero saudar todos os lasistas em geral e suas famílias. Mas quero salientar os lasistas que pertencem aos “Corpos Sociais da Lase”, pelo precioso contributo que têm dado a esta venerável Instituição com 63 anos de vida, fundada pelo saudoso Mons. Dr. José Filipe Mendeiros, seu primeiro Presidente da Direcção (até ao ano 2000). Mas, de entre estes últimos, quero ter uma palavra de muito apreço para com os Delegados Regionais (antigos e os actuais), que estão mais “no terreno”, congregando afanosamente “as hostes” lasistas.

No ano de 2020, como não pudemos concretizar, infelizmente, as actividades lasistas programadas, ficámos fisicamente mais longe uns dos outros, o que não nos impediu de estarmos sempre em sintonia. Esperamos que, em 2021, tudo possa ser um pouco diferente. Portanto, como já referi na nossa última mensagem, ficamos na expectativa de podermos realizar algumas actividades, que havíamos programado para o ano de 2020. Esta pandemia que, inesperadamente, caiu sobre a humanidade, é uma oportunidade para, em primeiro lugar, valorizarmos tudo o que de bom existe em nós (que não é pouco), a começar pela vida; em segundo lugar, para com muita humildade, cairmos em nós e reconhecermos a nossa insignificância, insegurança e debilidade.
Se quisermos olhar um pouco para a história da humanidade verificamos que o Homem, à medida que foi evoluindo na ciência e no progresso, com a melhoria das condições de vida foi-se convencendo que podia controlar e dominar tudo e todos, inclusive a própria vida (decidindo até quem havia de nascer ou morrer). Para mim este é o maior pecado da humanidade! Se, ao longo da história, têm existido muitas pandemias que mataram milhões de pessoas, esta é diferente de todas elas, porque não exclui ninguém. Antes, as pandemias atingiam especialmente os mais fracos: pobres, doentes, iletrados, ou seja, os mais desprotegidos. Agora, a grande novidade é que a “Covid 19” também atinge os poderosos, os ricos, os políticos, os atletas, os saudáveis, os cultos, etc.

No tempo de Natal recordámos mais uma vez que o Deus-Menino é para nós a grande “Esperança”. Ele que sendo tão poderoso, quis-Se fazer o “Servo” de todos. Ele que sendo Deus, desceu até nós, fazendo-se igual a nós, para que nós nos elevássemos até Ele. Mais tarde, nas suas pregações dirá: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”; “Aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração”. Todos nós andamos preocupados porque inseguros e indefesos, sem sabermos o que nos pode acontecer de um momento para o outro. Mas Ele também nos diz: “Não temais, homens de pouca fé, pois Eu estou convosco”.

Não quero terminar esta nossa reflexão sem recordar as duas grandes figuras bíblicas do tempo de Natal: a Virgem Maria e S. José que, com Jesus formam a Sagrada Família de Nazaré. A primeira que respondeu ao anjo Gabriel: “Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”. Mulher humilde e mulher de fé, disposta para tudo o Deus quisesse dela. Podemos dizer o mesmo de S. José, seu esposo, que também teve muitas dúvidas, mas que uma vez esclarecido pelo anjo, se disponibilizou para tudo o que Deus quisesse dele. Deus, embora lhe tivesse indicado muitos caminhos na vida, com o por exemplo “foge para o Egipto com Maria e o Menino, porque Herodes quer matá-Lo…”, não lhe resolveu os problemas do dia a dia. José teve que providenciar o seu sustento e da sua família.

Termino como comecei: saúdo todos os lasistas e suas famílias e no seguimento do Santo Natal, peço ao Deus Menino uma bênção especial para o Novo Ano de 2021, para que seja bem melhor que o anterior.

Com amizade

Évora, 1 de Janeiro de 2021

P. Fernando Marques – Presidente da Direcção da LASE

Contactos