Mensagem do nosso Arcebispo: Na semana de Oração pelos Seminários (31 de outubro a 7 de novembro)

Saúdo fraternalmente cada Presbítero, Diácono e Consagrado(a), Leigo(a).
A todos vós Saúde, Paz e Bem!

Convido-vos para uma breve reflexão nesta Semana de Oração pelos Seminários. A nossa Arquidiocese, graças a Deus, continua a contar com o Seminário Nossa Senhora da Purificação em plena e regular actividade formadora dos futuros Presbíteros para as Dioceses da Província Eclesiástica do Sul de Portugal, Algarve, Beja e Évora.

Louvamos o Senhor pelo Seminário Redemptoris Mater de Évora e ainda por alguns seminaristas salesianos em formação com vista ao Presbiterado. Importa perceber que é a partir destas Casas de Formação que o Instituto Superior de Teologia (ISTE) investe todas as suas energias académicas, incluindo na exigente tarefa da formação de futuros Docentes nas melhores Universidades da Igreja, a fim de assegurar uma sólida e atualizada lecionação aos futuros Pastores da Igreja.

À sombra destas realidades, ou seja, do Seminário de Nossa Senhora da Purificação e do ISTE, se tem apoiado outras Dioceses irmãs; actualmente, as Dioceses do Arquipélago de Cabo Verde, de S. Tomé e Príncipe, da Diocese de Ondjiva – Angola e da Arquidiocese de Díli, Timor-Leste. Centrando-nos na Semana de Oração pelos Seminários, reconhecemos que «o seminário é, pela sua natureza, uma comunidade formativa, um tempo de «caminhar juntos». Cada membro tem a possibilidade de estar com Cristo e de O seguir como discípulo, experimentando a familiaridade com a sua pessoa e aprofundando o conhecimento da sua palavra. Este percurso pessoal, favorecido e estimulado pelo contexto comunitário, deverá ser o de uma progressiva e gradual «configuração do seminarista com Cristo, Pastor e Servo, para que, unido a Ele, possa fazer da sua vida um dom de si aos outros»1

Pela longa experiência que a Igreja tem na formação sacerdotal, sobretudo após o Concílio de Trento, verifica-se que «o seminário sempre teve, e continua a ter, um papel determinante no estilo, no modo de ser presbítero em cada diocese. Contudo, não podemos esquecer ou diminuir, neste processo formativo, a importância da família ou da comunidade cristã, do meio escolar ou do grupo de amigos, dos movimentos e outras realidades eclesiais, bem como a influência crescente de uma cultura cada vez mais digital»2. Portanto, «esta semana é oportuna para reconhecer que os seminários são instituições marcantes em cada diocese. São lugares que evocam memórias únicas, momentos e vivências inesquecíveis do percurso pessoal e da história das Igrejas locais. Mas é sobretudo ocasião para tomar consciência da realidade atual, que, em alguns casos, não deixa de ser preocupante, dado o reduzido número de alunos. Diga-se, porém, que esta situação não é nova, mas tem sido constante nas últimas décadas»3.

Convido a comunidade da Arquidiocese de Évora a olhar com fé e realismo e valorize os Seminários de São José de Vila Viçosa, Nossa Senhora da Purificação e Redemptoris Mater em Évora! Que esta valorização se exprima no interesse, no acompanhamento e na oração quotidiana da cada comunidade e de cada um de nós. Por isso, apelo à utilização dos subsídios fornecidos pelo sítio da Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios na internet
(https://sites.ecclesia.pt/cevm/), tais como Mensagem, Vigília de Oração, Catequese, Liturgia, Mistérios do Rosário, Pagelas e imagens diversas. Que nenhuma Paróquia, nenhuma Comunidade Religiosa, nenhum Movimento Eclesial, nenhum cristão fique indiferente a esta necessidade vital da Igreja: a renovação dos presbitérios com novas gerações sacerdotais. Procuremos concretizar em nós o mandamento do Senhor para que envie operários para a sua messe: «Disse então a seus discípulos: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Por isso, pedi ao Senhor da messe que mande operários para a sua messe”.(Mt 9, 37-38).

Este ano 2021, a Semana de Oração pelos Seminários é iluminada pela frase do Evangelho de Marcos «Estabeleceu doze para estarem com Ele» (Mc 3, 14) e para os enviar a pregar. Neste texto, Marcos narra como, no meio de grande multidão, Jesus acolhe livremente, dentre os mais generosos em responder à sua chamada, um grupo de 12 discípulos, para viverem em comunidade com Ele, serem preparados para constituir o fundamento do Novo Israel, a Igreja, e tornarem-se os colaboradores da sua própria missão. Pediu-lhes que vivessem juntos, em contínuo contacto com Ele, para que se embebessem de seu espírito, compreendessem todos os aspetos da mensagem que depois seriam convidados a anunciar.

É neste espírito que elevamos o nosso louvor a Deus, pela Sua obra realizada em cada um dos Seminários e Lhe consagramos, pelas mãos da Mãe da Igreja, os Seminários, os formadores, professores, funcionários e benfeitores.

Évora, 02 de novembro de 2021

+ Francisco Senra Coelho

———————–
1D. António Augusto de Oliveira Azevedo mensagem na semana de Oração pelos Seminários.
2Idem
3Ibidem

Contactos