Movimento dos Focolares promove curso para capacitar agentes da pastoral no contexto da pandemia

O Instituto Universitário Sophia (Itália), instituição ligada ao Movimento dos Focolares, está a promover, de 29 de Junho a 4 de Julho, um curso on-line para educadores pastorais que pretende analisar os desafios que os tempos actuais colocam aos cristãos.
O curso tem como “pilar fundamental” uma frase da Exortação Apostólica «Evangelii Gaudium», “Os desafios existem para ser superados (EG 109)”, porque as “transformações operadas” na sociedade são notórias, disse à Agência ECCLESIA o cónego Silvestre Marques, elemento do Conselho Científico do Instituto Sophia.
No último decénio, o Instituto Universitário Sophia (Loppiano – Itália) tem desenvolvido “diversas iniciativas”, como cursos para educadores de seminários, mas nos últimos dois anos apostaram “mais aos agentes pastorais, sobretudo leigos”, realçou este sacerdote da Arquidiocese de Évora.
Esta área de formação foi assumida por “duas expressões” dos Focolares: “O movimento diocesano e o movimento paroquial”, uma forma de incarnação do carisma nas dioceses e nas paróquias, frisou o cónego Silvestre Marques.
Durante estes dias do curso on-line, os formadores falam sobre várias temáticas: “Agentes pastorais na vida das dioceses e das paróquias: educação para o primado da realidade sobre as ideias”; “O «pacto global educativo»: Algumas orientações para as comunidades educantes” e “Sobre o «lugar» da educação. Escutar jovens e idosos – relações intergeracionais e acompanhamento”.
Como a pandemia colocou em evidência as “expressões telemáticas a grande escala”, o instituto, uma das últimas fundações de Chiara Lubich (fundadora do Movimento dos Focolares), aproveitou “esta modalidade para a formação a nível pastoral”, sublinhou o cónego eborense.
Na cultura que se vive, os leigos devem “estar preparados para os diversos tipos de diálogo” com que são confrontados.
A formação serve para “preparar os leigos, não apenas para uma evangelização direta e imediata”, mas, sobretudo, numa evangelização que assenta no “diálogo aberto e universal”, apontou este elemento do Conselho Científico do Instituto Sophia.
Neste curso que decorre entre as 13h00 e as 17h00 (hora de Portugal) estão inscritas “mais de 500 pessoas”, concluiu.
Num futuro próximo “existe a possibilidade” de se realizarem cursos desta natureza em Portugal.
Num diálogo recente com D. Nuno Almeida, Bispo auxiliar de Braga, este sacerdote confessou que a Arquidiocese de Braga “aspira ter um movimento diocesano” dos Focolares, tal como acontece com a Arquidiocese de Évora.
As arquidioceses de Évora e Braga “movimentam-se no sentido de consolidar esta experiência do movimento diocesano”, contou à Agência ECCLESIA o cónego Silvestre Marques.
O curso ainda “não está definitivamente agendado” nestas dioceses portuguesas, mas imagina-se que “seja possível entre a segunda quinzena de Setembro e primeiros dias de Outubro”.
Este tipo de formação em Portugal significa “um primeiro passo dos agentes” que “depois vão dinamizar nas duas arquidioceses a experiência do movimento diocesano”.
O grupo «Gen Verde» dos Focolares esteve em Portugal e “deixou uma marca muito forte e atraente”, realçou o cónego Silvestre Marques.
“O importante é que as pessoas sintam e vivam o carisma”, finalizou.

Contactos