Palavra do nosso Arcebispo: A propósito do Ano da Família

Para Celebrar os 150 anos da declaração do Esposo de Maria como padroeiro da Igreja Católica, o Papa Francisco convocou o Ano de São José que se estende de 8 de dezembro de 2020 até 8 de dezembro de 2021. Na sua Carta Apostólica “Patris Corde Com coração de Pai”, o Papa apresenta S. José como «pai amado, pai na ternura, na obediência e no acolhimento: pai com coragem criativa, trabalhador, sempre na sombra». É, por isso, que no dia da sua festa, somos convidados a iniciar o Ano da Família, com a ajuda enriquecedora e interpelante da Exortação Apostólica Amoris Laetitia (A Alegria do Amor). Com S. José chegamos inevitavelmente à Sagrada Família de Nazaré e assim concretizamos a vivência do Ano da Família, que decorre de 19 de março de 2021 e terminará a 26 de junho de 2022 por ocasião do X Encontro Mundial das Famílias, sobre “O Amor em Família: Vocação e Caminho de Santidade”.

O Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, organismo da Santa Sé, apresenta cinco objetivos para este Ano da Família: Difundir o conteúdo da exortação Amoris Laetitia; anunciar que o Sacramento do Matrimónio é uma dádiva e tem em si um poder transformador do amor humano; Tornar as famílias protagonistas da pastoral familiar; Consciencializar os jovens sobre a verdade do amor e do dom de si; Alargar o olhar e a ação da pastoral familiar.

O mesmo Dicastério Romano apresenta também  doze propostas para acompanhar as famílias: Fortalecer a pastoral de preparação para o matrimónio; Potenciar a pastoral de acompanhamento dos esposos; Organizar encontros para os pais sobre a educação dos filhos e sobre os desafios atuais; Promover encontros de reflexão sobre a beleza e dificuldades da vida familiar; Intensificar o acompanhamento dos casais; Inserir casais de esposos nas estruturas da pastoral familiar; Promover nas famílias a natural vocação missionária; Desenvolver uma pastoral da pessoa idosa que vise superar a cultura do descarte e a indiferença; Envolver a pastoral juvenil com iniciativas de reflexão e discussão sobre as questões da família; Promover a preparação para o X Encontro Mundial das Famílias; Lançar iniciativas de acompanhamento e discernimento para as famílias feridas; Organizar grupos de aprofundamento sobre a Amoris Laetitia.

Em suma, somos todos convidados «a um renovado e criativo impulso pastoral para colocar a família no centro da atenção da Igreja e da sociedade» como afirmou o Papa Francisco, na alocução que acompanhou a oração do Angelus no passado dia 14 de março.

Convido a Arquidiocese de Évora a abrir-se nas suas múltiplas iniciativas pastorais a este apelo do Papa Francisco, concretizando de modo transversal os cinco objetivos e os doze percursos anunciados para acompanhar as famílias, neste ano a elas dedicado.

Que São José interceda por nós, a fim de concretizarmos este desafio evangelizador e renovador da Igreja, onde a Esperança se concretiza numa ecologia global e humana (no Ano Laudato Si’, até 24 de maio), no centro da qual sobressai de modo incontornável e insubstituível a família, enquanto berço natural da vida. Assim, o apelo que vos dirijo é à não dispersão, mas convido-vos ao enriquecimento que estas propostas do Papa Francisco nos proporcionam, se as olharmos e aprofundarmos a partir do trajeto pastoral deste ano 2020/2021: Discípulos Missionários da Esperança, pelo acolhimento e pela procura.

Évora, 18 de março de 2021

+ Francisco José Senra Coelho

Arcebispo de Évora

Contactos