Palavra do nosso Arcebispo: Encerramento do Centenário da Entrada de Dom Manuel Mendes na Arquidiocese de Évora

Foi no dia 11 de Fevereiro de 1921, que o Servo de Deus, D. Manuel Mendes da Conceição Santos (13.12.1876 – 30.03.1955) entrou na Sé eborense, assumindo o ministério de Arcebispo Metropolita de Évora. Era Papa Bento XV. Após 34 anos de intenso, dedicado e zeloso serviço à Vinha do Senhor, faleceu com generalizada fama de santidade. O seu lema foi “Sub tuum praesidium”.

A 26 de novembro de 1961, o seu sucessor, D. Manuel Trindade Salgueiro (28.09.1898 – 20.09.1965), concedeu o “imprimatur” à Oração pela Beatificação de D. Manuel Mendes, impressa numa pagela onde se incluía já a sua síntese biográfica. Pelos anos 70, um grupo de leigos, acompanhados pelo seu Director Espiritual, solicitaram ao Arcebispo de Évora, D. David de Sousa (1966-1981), que fosse iniciada e introduzida a Causa de Canonização no Dicastério da Causa dos Santos, em Roma. Esse procedimento deu início em 1972 e prossegue na sua exigente organização através da Vice-Postulação, com sede em Évora, e da Postulação sediada na Cidade Eterna.

Na sua biografia encontramo-nos com um conjunto de critérios, realidades e ações verdadeiramente incontornáveis, refiro-me sobretudo aos Seminários de Évora e Vila Viçosa, bem como à procura de vocações por todo o país, aos seus amados Sacerdotes, aos mui desejados Religiosos e Religiosas, à educação e aos Colégios, ao apostolado social e religioso, ao acompanhamento pessoal e epistolar, à obra da catequese e dos retiros, aos adolescentes e jovens com a vinda do Escutismo para a Arquidiocese, à então chamada boa imprensa e sua divulgação, através da Gráfica Eborense e da sua livraria, à liberdade e dignidade da Igreja e sua missão, às dolorosas questões da pobreza, da infância desvalida e a outras causas sociais e assistenciais de extrema urgência, como a “sopa dos pobres” e o atendimento no seu “Paço Arquiepiscopal” de porta sempre aberta, um inacabado Convento Terceiro-Carmelita Regular, gentilmente cedido por uma benemérita família eborense, porém a última esperança para situações de pobreza envergonhada ou situações de lamentável mendicidade.

São muitos os testemunhos recolhidos junto dos seus coetâneos a testarem as suas virtudes heroicas, o ardor da sua piedade e caridade, a riqueza da sua humanidade e bondade, bem como a profundidade do seu saber e a vasta erudição da sua formação intelectual: Doutor em Teologia e estudos de Línguas Clássicas no Instituto S. Apolinário, em Roma.

Convido todos os Sacerdotes, Diáconos, Religiosos e Leigos a participarmos na Eucaristia de Ação de Graças a celebrar na Sé, no próximo dia 11 do corrente mês de Fevereiro, pelas 11 horas, seguida de Romagem ao seu túmulo, nos claustros da Catedral, para uma breve homenagem de memória e gratidão. Pelas 21 horas, viveremos uma Vigília na capela do Seminário de Évora, dedicada a Nossa Senhora da Purificação.

Sábado, dia 12, pelas 10 horas, no Auditório Eugénio de Almeida, teremos oportunidade de participar num painel esclarecedor da Vida e Obra do Servo de Deus.

Que a família Arquidiocesana saiba beneficiar do testemunho e da intercessão deste Pastor sábio, justo e bom.

 

Évora, 6 de fevereiro de 2022

 

+ Francisco José Senra Coelho

Arcebispo de Évora

Contactos