Participação do Seminário Maior de Évora no processo sinodal

Tendo em consideração o lema comunitário para o corrente ano formativo – Seminário, comunidade sinodal – o Seminário Maior de Évora propôs-se responder de modo global ao questionário para o Sínodo sobre a sinodalidade, centrando-nos, quer na realidade do Seminário, quer nas realidades diocesanas das quais os seminaristas são provenientes. Dado que a formação no Seminário é, já per si, marcada por um autêntico dinamismo sinodal, os seminaristas mostraram-se interessados em potenciá-lo como real modus vivendi do percurso formativo da comunidade no seu conjunto. Conscientes de que o processo de formação é desde logo configurador de um futuro estilo de pastoral determinado, torna-se urgente uma correspondência entre o presente e o futuro, visto que os seminaristas de hoje são os padres de amanhã. Deste modo, à comunidade, mais que reflexões de âmbito teórico, importou-lhe tirar as consequências operativas da adoção de uma formação autenticamente sinodal, manifestada no quotidiano concreto do que constitui a vida do Seminário nas suas várias dimensões, devidamente integrada na globalidade da práxis da Igreja.

A análise e a reflexão realizaram-se num ambiente de diálogo, partilha e confronto de ideias, onde todos tiveram a oportunidade de expor o seu parecer de forma respeitosa e ordenada. Tratou-se de um verdadeiro exercício eclesiológico-prático de sinodalidade.

Neste sentido, a sinodalidade sai da ordem do abstrato ideológico e, no contexto do Seminário, converte-se em realidade vital, profundamente representativa do seu ser e, ao mesmo tempo, em realidade profética dos futuros anunciadores do Reino, qual proposta de felicidade sempre renovada para a humanidade deste século.

Tomás Patrício Dias

Contactos